Blogue do WhatsApp

Advertising has us chasing cars and clothes, working jobs we hate so we can buy shit we don’t need.
– Tyler Durden, Fight Club

Eu e o Brian passámos, em conjunto, 20 anos no Yahoo, a trabalhar arduamente para manter o site a funcionar. E sim, a trabalhar arduamente para vender anúncios, porque era isso que o Yahoo fazia. Recolhia dados, publicava anúncios e vendia-os.

Vimos o Yahoo ser eclipsado, a todos os níveis, pelo Google... um vendedor de anúncios mais eficiente e lucrativo. Eles sabiam exactamente o que andavas à procura, por isso podiam recolher dados de forma mais eficiente para vender melhores anúncios.

Hoje em dia, as empresas sabem literalmente tudo sobre ti, sobre os teus amigos, sobre os teus interesses, e usam essas informações todas para vender anúncios.

Há três anos, quando começámos a nossa própria aventura em conjunto, queríamos fazer algo que não fosse apenas mais uma central de anúncios. Queríamos investir o nosso tempo a construir um serviço que as pessoas quisessem usar porque funcionava, porque lhes poupava dinheiro e porque tornava as suas vidas mais fáceis de alguma forma. Sabíamos que poderíamos cobrar dinheiro directamente às pessoas se conseguíssemos fazer todas essas coisas. Sabíamos que poderíamos fazer aquilo que toda a gente faz todos os dias: evitar os anúncios.

Ninguém acorda com vontade de ver mais anúncios, ninguém se deita a pensar nos anúncios que vai ver amanhã. Sabemos que as pessoas vão para a cama entusiasmadas pelas pessoas com quem falaram nesse dia (e desapontadas pelas pessoas com que não falaram). E queremos que o WhatsApp seja um produto que te mantém acordado... e que vás à procura logo de manhãzinha. Ninguém interrompe uma sesta e vai a correr ver um anúncio.

Os anúncios não são apenas perturbações estéticas, insultos à tua inteligência ou interrupções à tua linha de pensamentos. Em cada empresa que vende anúncios, uma parte significativa da equipa de engenheiros passa o dia a optimizar a extracção de dados, a escrever um código mais eficaz para recolher todos os teus dados pessoais, a actualizar os servidores que armazenam os dados e a garantir que é tudo registado, recolhido, tratado, embalado e enviado... e, no final do dia, o resultado de tudo isto é um banner de publicidade ligeiramente diferente no teu navegador ou no ecrã do teu telemóvel.

Lembra-te, no que toca a anúncios tu, o utilizador, és o produto.

Na WhatsApp Inc., os nossos engenheiros passam o tempo a resolver problemas, a adicionar novas funcionalidades e a esclarecer todas as pequenas complexidades da nossa tarefa de fazer chegar um sistema de mensagens rico, acessível e fiável a todos os telemóveis do mundo. Esse é o nosso produto e essa é a nossa paixão. Os teus dados nem sequer entram na fotografia. Simplesmente, não estamos interessados neles.

Quando as pessoas nos perguntam porque cobramos dinheiro pelo WhatsApp, nós dizemos “Consideraste a alternativa?”